Publicado por em abril 4, 2014 4 comentários

O comércio eletrônico no Brasil em 2014 – Dicas, Tendências e Previsões

Apesar do baixo crescimento econômico do Brasil, os números revelados pela e-Bit através de seu Relatório WebShoppers 2014 são muito positivos. O que os números revelam é que o a confiança do brasileiro e a frequência nas compras online estão cada vez maior.

Previsão de crescimento de vendas no Comércio Eletrônico em 2014

Crescimento das Vendas no Comércio Eletrônico

Em 2013 a previsão de vendas online já era otimista, com expectativa de crescimento de 25% em relação ao ano anterior, de acordo com o e-bit o crescimento chegou a 28% e o faturamento do comércio eletrônico no Brasil foi de R$28,8 bilhões ao longo do ano de 2013. Não só o faturamento das lojas cresceu, mas também o número de pedidos foi 32% maior em relação ao ano de2012, no total foram 88,3 milhões realizados pela internet.

Há uma expectativa de crescimento de 20% para o ano de 2014 em relação a 2013, tendo como objetivo o alcance de um faturando R$34,6 bilhões através de vendas pela internet. A expectativa é menor devido ao maior número de feriados prolongados, data tardia do carnaval, período de Copa do Mundo e eleições.

Consumidores online

O número de consumidores na internet subiu para 51,3 milhões, no entanto, nem todos realizaram compras no ano de 2013, mas o número de consumidores ativos foi de 43,2 milhões, superando o número total de consumidores de 2012 que foi 42,2 milhões.  Isso mostra que a constância de compra anual pela internet do brasileiro é elevada, superando o número total de consumidores ativos e inativos do ano anterior.

De acordo com o NPS – Net Promoter Score, uma Metodologia Brain & Company usada para computar dados que indicam a satisfação e fidelização dos clientes de comércio eletrônico,  o resumo do comércio eletrônico brasileiro em 2013 foi bom.

Um bom comparativo é o mês de dezembro, onde há um grande número de pedidos e entregas, NPS de dezembro de 2013 foi de 46,93% enquanto o NPS do mesmo período de 2012 foi 40,96%. Esse é um reflexo do maior preparo dos empresários em relação a períodos de grande consumo como é o caso do Natal.

Black Friday

Black Friday

No Brasil uma das datas mais importantes para o comércio eletrônico é o Black Friday, este é o dia em que vários produtos entram em promoção também conhecido como o Dia Mundial de Descontos, sempre realizada na última sexta-feira do mês novembro. O Black Friday é considerado o dia que abre o período de compras para o Natal, tem como objetivo liquidar com o estoque de produtos antigos para dar lugar aos lançamentos.

Em 20013 o Black Friday foi realizado no dia 29 de novembro e foi considerado o dia de melhor faturamento do ano, movimentando R$ 770 milhões, 2,75% de todo faturamento de 2013, fato que quebrou com todos os recordes de faturamento em um único dia.

A tendência é que este ano as compras no Black Friday superem ao do ano anterior, criando um novo recorde de faturamento em um único dia.

Tendências do Comércio Eletrônico

O parcelamento elástico e o frete grátis são dois dos grandes atrativos do comércio eletrônico, mas a tendência é que estes recursos sejam cada vez menos usados com o objetivo de gerar uma maior rentabilidade.

Em 2014 haverá um crescimento de vendas de artigos esportivos, camisetas de seleções e televisores grandes de tela fina, tudo motivado pela Copa do Mundo que será realizada no Brasil.

Compras em Mobile

Crescimento das Vendas em Mobile (Celular, Smartphones e Tablets)As classes econômicas C e D estarão cada vez mais presentes no consumo em comércio eletrônico, isso devido a popularização de celulares e smatphones com internet e navegadores completos, redução do custo de uso do serviço de dados para internet e o crescimento banda larga em dispositivos móveis.

Quem tem apenas loja física também sentirá os efeitos do comércio eletrônico, isso devido a um fenômeno chamado showrooming, ou seja a loja física funcionará como um showroom possibilitando testes e conferências de especificações do produto.

Hoje o consumidor pode estar em uma loja física e pesquisar preços e informações do mesmo produto através de um celular, smartphone ou tablet, a decisão do cliente será tomada pelo cliente de acordo com a sua conveniência e vantagens oferecidas.

Frete Grátis x Entrega Rápida

Frete Grátis x Entrega RápidaUm dos fatores mais importantes para a decisão de compra através de comércio eletrônico é o valor do frete, ou não? Segundo dados do e-bit o número de compras com entregas gratuitas caiu de 58% para 50%, na comparação do mês de dezembro de 2012 e dezembro de 2013.

A redução do número de frete grátis tem dois motivos principais, são eles:

  1. As empresas estão em busca de maior rentabilidade, embutir o custo do frete no valor da compra pode ser prejuízo se a mesma for devolvida ou se houver solicitação de troca.
  2. O cliente geralmente quer que a entrega seja realizada no menor tempo possível e quanto mais rápida for a entrega, maior é o seu custo. A cada dia estão surgindo cada vez mais opções de entregas expressas que oferecem maior agilidade, conveniência e praticidade, mas tudo isso tem um preço e quem paga é o consumidor.

A tendência é que o número com frete grátis caia cada vez mais para dar lugar ao menor tempo de entrega.

Informação e Conteúdo

Otimização nos mecanismos de busca (Posicionamento no Google)Como se destacar no meio de vários concorrentes vendendo a mesma coisa que você? Para responder essa pergunta é preciso outra fazer outra pergunta: o que você está fazendo para seus clientes com o objetivo de se diferenciar de seus concorrentes?

Oferecer um conteúdo único e com qualidade que auxilie o consumidor na decisão de compra é mais que uma tendência, é fundamental para se diferenciar dos concorrentes. Para isso é preciso investir em gerenciamento de conteúdo e SEO (Otimização nos mecanismos de busca) para oferecer um conteúdo relevante para o consumidor e com maior visibilidade nos buscadores como Google, Bing, Ask e Yahoo.

Redes Sociais (Social commerce):

Monitoramento de redes sociais (Social commerce)Oferecer apenas uma loja com imagem e preço do produto não é o suficiente para vender. A Criação de um blog, a participação e monitoramento das redes sociais e divulgação através de publicidade digital, como Facebook ADS e links patrocinados do Google (Google Adwords) são algumas das formas de divulgar e transmitir informações sobre o produto a venda em sua loja.

Facebook, Google+, Twitter, LinkedIn, Youtube, Pinterest, Foursquare  e Instagram são algumas das ferramentas que podem ser usadas para promover a interação e o engajamento com o seu público consumidor.

A tendência é que as empresas tenham cada vez mais interatividade com os seus consumidores, para isso a presença e monitoramento das redes sociais é de extrema importância. No entanto é necessário identificar quais redes sociais mais se identifica mais com o seu modelo de negócio, antes de sair criando contas em todas as redes sociais e deixa-las depois abandonada.

Infográfico das Tendências do Comércio Eletrônico

Conclusão

O consumidor está cada vez mais próximo da internet o que facilita a comparação dos produtos e serviços, e com o crescimento do uso da internet nos dispositivos móveis como celular, smartphones e tablets os clientes também passarão a comparar preços da internet com as lojas físicas.

O setor de comércio eletrônico deve dar uma maior atenção às classes econômicas C e D, pois elas estão cada vez com maior poder de compra e estão dispostos a participar de promoções e aproveitar todas as formas de descontos oferecidas pelas lojas online.

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato conosco ou deixe um comentário, vamos adorar saber o que você está pensando.

Até aproxima!

Tags: ,
Categorias:
Postagem escrita por Felipe Mesquita

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WordPress spam blocked by CleanTalk.