Candidato Político de terno, ao fundo um site institucional do mesmo.

Porque os candidatos deveriam manter um site pessoal

agosto 3, 2018 8:39 am Published by Leave your thoughts

A partir de setembro entramos em um período eleitoral no país com grandes mudanças na forma como candidatos podem se promover. As campanhas que antigamente se alongavam por meses, agora devem se concentrar em período curto, de aproximadamente um mês e meio, e os eleitores tem pouco tempo para conhecer propostas e intenções dos candidatos que pretendem escolher nas urnas.

As redes sociais, que já são utilizadas como um dos canais preferidos de todos os que disputam um cargo público, ainda funcionam para a maioria no antigo formato de palanque: pouca interação com o público, sem incentivos a discussões sobre projetos e com pouca ou quase nenhuma possibilidade de ouvir os problemas, anseios e sugestões. Sem contar os casos onde é visível o esforço em apagar comentários contrários a si para maquiar uma imagem de bem aceito dentro desses canais.

O relacionamento do candidato não deve acabar após as eleições

É preciso lembrar que ao utilizar esses canais de relacionamento, como Facebook por exemplo, os conteúdos compartilhados estão sujeitos a políticas internas da plataforma, limitando a alcance de propostas para novos públicos e apenas fortalecendo opiniões devido aos fatores de ranqueamento, que darão preferência ao público que já tem contato com as páginas. Se você precisa de votos para se eleger, é interessante que suas propostas atinjam também pessoas que não te conhecem, apostar apenas em um público que já te conhece talvez não seja suficiente para convencer novos eleitores. Não é muito diferente de divulgar um produto ou serviço.

São poucos os exemplos de candidatos que utilizam seus sites como plataforma de interação além da já batida lista de todas as reuniões, eventos e feitos que realizou durante o dia, muito bem descritos pela sua assessoria, e com um álbum de fotos imenso. Textos imensos, recheados de informações que pouco acrescenta no dia a dia do eleitor e que servem apenas para construir a imagem de bem aceito e conhecido. É basicamente como se você fizesse um site só falando bem de si mesmo, apenas do seu ponto de vista e enviasse para todos os seus amigos. Provavelmente ninguém veria.

Todos anos de eleições os comportamentos são iguais, assessorias publicando sites do dia para noite, com fotos e matérias alimentados na velocidade da luz e com pouca ou nenhuma interação.

Não faça uma campanha antecipada, entregue conteúdos de valor.

É preciso lembrar que existem algumas limitações acerca do período em que é possível fazer campanha, no entanto, a estratégia que não existe é a estratégia de conteúdo, construída no longo prazo, bem posicionada, com engajamento e personalidade. Sites que duram apenas o período de campanha e são desativados um dia após a eleição farão uma diferença irrelevante no fortalecimento de imagem de cada candidato.

Esse pensamento de conteúdo deve ser considerado no longo prazo, antes das eleições e depois inclusive. Não deve ser criado como um canal de campanha mascarado, mas um ponto de interação com um público que tenha as mesmas ideias ou interesses em comum. Auxiliar no acesso a informação sobre projetos, questionamentos comuns e diálogo vão produzir uma ferramenta de grande valia na corrida política.

Os candidatos que utilizarem seus endereços como forma de conversar com seus eleitores e fortalecer sua imagem, podem desenvolver novas ideias de participação popular além de diminuir as distancias do dia a dia público com as necessidades populares.

Conheça a Shape Web

A Shape Web é uma agência digital que oferece consultorias de marketing digital para pessoas públicas, profissionais autônomos, micro e pequenas empresas orientando nas tomadas de decisões e investimentos necessários na internet.

Nosso objetivo é oferecer soluções simples e de fácil aplicação que tragam resultados reais e mensuráveis. Atendemos clientes de todo o Estados de Mato Grosso do Sul, mas estamos aptos a atender empresas de qualquer cidade do Brasil. Entre em contato conosco!

 

Tags: , ,

Categorised in:

This post was written by Edgar da Silva

Modelo de Negócio

O seu modelo de negócio existirá nos próximos anos?

outubro 23, 2017 5:52 pm Published by Leave your thoughts

O seu produto oferece maior comodidade com menor custo? Se a resposta for não, você tem grande chance de perder o seu espaço no mercado em breve. Veja o como as novas empresas estão mudando o seu modelo de negócio e o que as empresas tradicionais estão fazendo para não quebrar.

Serviço de Transporte

Uber, 99POP, Easy Taxy e Cabify

Um caso muito claro são as Cooperativas de Taxi, sem dúvida um modelo ultrapassado de negócio. Concorrentes como Uber, 99POP, EasyTaxy e Cabify vieram oferecer maior comodidade, que no caso é solicitar um transporte sem precisar falar com ninguém. Além disso você nem precisar levar dinheiro, pois o pagamento pode ser realizado por cartão de crédito ou outro meio de pagamento, como por exemplo o PayPal.

Locadora de vídeo

Netflix, HBO GO, Amazon Prime Video, Globo Play, Cracle e Looke

As Locadoras de vídeos e DVDs simplesmente sumiram do mapa. Isso por que surgiu um modelo de negócio que possibilita você assistir um filme ou série na hora que você quiser com um preço fixo ou até gratuito.  Alguns exemplos são: Netflix, Crackle, Amazon Prime Video e Looke.

Preocupados com a chegada deste novo Modelo de Negócio, as operadoras de televisão por assinatura estão investindo neste segmento. Um exemplo é a Claro vídeo e Net Now. Além também dos canais de TV por assinatura como HBO GO, Globo Play, Globosat Play e Fox Play.

Jornais, Revistas e Classificados de Emprego

Apesar de muitos jornais e revistas ainda sobreviverem, a tendência é que aos poucos o público migre para o digital. As folhas de papel darão lugar aos smartphones e tablets. Empresas que insistem em oferecer apenas versões no papel já devem ter notado uma queda nas assinaturas.

LinkedIn, Catho, 99 Jobs e Love Mondays

Você ler um jornal semanário hoje, não faz sentido nenhum, todas as informações já foram publicadas em outros meios como televisão e Internet. Um ponto forte dos jornais eram os classificados de emprego. Hoje os classificados de emprego estão presente no meio digital como Redes Sociais LinkedIn. Além disso existem sites específicos para encontrar emprego como a Catho, 99Jobs e Love Mondays.

Lojas Físicas

Muitas lojas reduzirão o número de pontos físicos e passarão a oferecer produtos online. Em 2015, apenas 15 shoppings foram inaugurados no Brasil, contra 28 em 2014. (Época)

A previsão é que um quarto dos shoppings norte-americanos fechará até 2022. No Brasil, os 20 shopping centers abertos no ano 2016 operam com uma vacância média de 55%. Ou seja, mais da metade das lojas estão vagas. Em 2016 foi a primeira vez em pelo menos 12 anos em que os shoppings brasileiros fecharam mais lojas do que abriram. (Exame)

Grandes lojas, como Casas Bahia, Livraria Saraiva e Ricardo Eletro, já estão realizando vendas online que podem ser retirados em 24 horas, em uma loja física de sua escolha.

Modelo de negócio ideal: Maior Comodidade e Menor Custo

A sua empresa consegue oferecer maior comodidade com menor custo? Repare, todos os modelos de negócio citados acima só vingaram por que ofereciam maior comodidade e menor custo que seus concorrentes. Analise em que ponto o seu negócio está na curva do ciclo de vida do produto. O ciclo de vida de um produto é dividido em: Introdução, Crescimento, Maturidade ou Declínio.

Como está o seu modelo de negócio? Quais são as suas perspectivas para os próximos anos? Deixe suas dúvidas, criticas e comentários logo abaixo.

Quer saber como preparar e fortalecer o seu negócio no meio digital? Entre em contato conosco para atendimento@shapeweb.com.br ou se preferir envie sua mensagem em nosso formulário de contato.

Tags: , , , ,

Categorised in:

This post was written by Felipe Mesquita

Fraude - Golpe do boleto

Como evitar Fraudes e Golpes de Registro de Domínio e Hospedagem

julho 18, 2016 8:00 am Published by Leave your thoughts

Você conhece o golpe do boleto bancário do Registro de Domínio e Hospedagem? Este é um recado muito importante para todos que possuem sites ou blogs. Cuidado com os Golpes e Fraudes na Internet. Não pague nenhum boleto de registro de domínio que chegar pelos Correios! Assista ao vídeo e leia o post até o fim  para que você possa entender os riscos desta fraude.

Neste post vamos falar sobre um golpe que não é novo, mas que estamos sendo alertados com uma frequência cada vez maior. O Golpe do boleto falso de Registro e Hospedagem.

Sabemos que na correria do dia a dia fica difícil ter o controle de tudo que pagamos em nossa empresa é muito complicado. Aproveitando desta distração, criminosos criaram boletos maliciosos na tentativa de iludir a boa fé de quem possui um site com domínio terminado em “.br”.

Como funciona o golpe do boleto bancário do Registro de Domínio e Hospedagem

Golpe do Boleto de Registro de Dominio

Os fraudadores conseguem o nome de domínio e identificação do titular pela base de dados do Registro.BR, pois esta é uma informação pública. As informações podem ser facilmente pesquisadas no próprio Registro.BR.

Caso você tenha um blog ou site com domínio terminado com Ponto BR (.br), você receberá um boleto em sua residência ou empresa com uma fatura fraudulenta. Novamente, Não pague nenhum boleto de registro de domínio que chegar pelos Correios.

Como funciona o registro de domínio

O Registro de um domínio é um serviço público declaratório. Ou seja, uma pessoa ou empresa declara que deseja obter um nome para seu site e o Registro.BR informa se este nome está disponível para registro ou não.

Caso o nome de domínio esteja disponível, este nome é disponibilizado para pessoa ou empresa. No entanto, há uma contrapartida, que é um pagamento de uma taxa anual e divulgar as suas informações pessoais ou empresariais. Em outras palavras, a empresa ou pessoa precisam dizer publicamente que detém a posse deste domínio, informando e-mail, CPF ou CNPJ, endereço residencial ou empresarial entre outras informações.

Como identificar o golpe do boleto bancário do Registro de Domínio e Hospedagem

Imagem Ilustrativa - BR Registro - Golpe do Boleto

Golpe do Boleto – Modelo de boleto enviado pelo BR Registro

A empresa responsável pelas atividades de registro e manutenção dos nomes de domínios que usam o “.br” chama-se Registro BR, departamento do NIC.br (Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR).

Fraudadores aproveitam para usar nomes semelhantes ou que lembre o serviço oferecido. Entre os principais nomes usados por fraudadores estão:

  • BRREGISTRO.ORG
  • BR.REGISTRO.COM
  • BRREGISTRO.COM
  • REGISTRO.BRASIL
  • REGISTRAR.BR.COM
  • REGISTROSEHOSPEDAGENS.COM

Modelos de Boletos Falsos

Abaixo seguem alguns modelos de mala-direta enviados pelas empresas fraudadoras:

BR.Registro.comRegistrar.Br.ComRegistro.Brasil

Características do Golpe do boleto

Existem alguns outros pontos chave que ajudaram você a identificar o golpe do boleto bancário falso de Registro de Domínio e Hospedagem, são eles:

  • Emita sempre o boleto pelo site do BR, nunca pague boletos de registro que chegam pelos Correios.
  • Site oficial do Registro.BR é: http://registro.br/
  • Informações da responsável pelo Registo.BR são:
    Cedente: NIC.br – CNPJ 05.506.560/0001-36
    Banco: 237-2 – Bradesco
    Agência/Código Cedente: 2370-1 / 0029998-7
  • Nas letras miúdas do boleto falso, geralmente o fraudador informa no boleto que o pagamento é optativo e/ou facultativo.
  • Geralmente o fraudador dá o nome de boleto e sim de Mala Direta.
  • Sobre as informações da empresa fraudadora, a caixa postal da empresa, telefones de contato e o endereço físico são de cidades ou até estados diferentes, tudo para dificultar a identificação da empresa.
  • Verifique o serviço que o possível fraudador oferece, geralmente é oferecido também o serviço de hospedagem, apesar do nome da empresa ser relacionada com registro.
  • Confira o valor, o valor do registro de um domínio .br é de R$30/ano, os boletos fraudulentos costumam vir com um valor superior à R$100 por três meses de serviço.

Cai no golpe do boleto! O que devo fazer? Como receber meu dinheiro de volta?

Você deve procurar uma delegacia de polícia e registrar um boletim de ocorrência. Este B.O. irá gerar um inquérito policial para iniciar uma investigação para identificar o fraudador que poderá ser condenado pela prática ou tentativa de estelionato.

Trata-se do famoso crime do “171”, infração penal contra o patrimônio que pode ser praticado por qualquer pessoa que tenha a intenção de enganar alguém para lhe tirar vantagem.

DECRETO-LEI No 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940.

Art. 171 – Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento (Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – http://www.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/direito-facil/estelionato)

FICA O ALERTA! Realizado o pagamento do boleto falso do serviço de domínio, você provavelmente deixará de pagar o que realmente deveria, por consequência, o registro de domínio do seu site pode ser congelado ou até suspenso.

Existem delegacias que são especializadas em receber denúncias de delitos cometidos através dos meios eletrônicos. Há delegacias em diversos estados, tais como: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Parará, Minas Gerais, Pará, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Distro Federal e Goiás. Essas delegacias são especializadas no atendimento a crimes cibernéticos, por essa razão atendem diversos tipos de denúncias, desde ameaças, vídeos e imagem, crimes, golpes, pornografia, tráfico de drogas online, incitação a violência, etc. (Fonte: http://codificar.com.br/)

Entre em contato com a delegacia de crimes virtuais mais próximo a você e denuncie. Em Campo Grande/MS existe a DEDFAZ – Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações, Falsificações, que fica localizado na (CEPOL): Rua Soldado PM Reinaldo de Andrade S/N, Bairro Tiradentes, Campo Grande/MS, CEP 79.041-118, atendimento de segunda à sexta-feira, das 08h às 12h e das 14h às 18h – Telefone (67) 3318-9000.

Registro.BR não envia boletos

Por causa de fraudadores que usam nomes semelhantes, e às vezes o mesmo nome da empresa verdadeira, na tentativa de iludir a boa fé do consumidor, a empresa oficial de domínios brasileiro, Registro.BR, anunciou em seu site oficial que não envia boletos de cobrança. Sendo assim, boletos do Registro.BR devem ser obrigatoriamente emitidos através de seu site https://registro.br/.

O Registro.br não envia mais boletos por via postal em nenhuma circunstância; correspondências relativas à cobrança pelo Registro.br tem apenas um endereço web de nosso próprio site (https://registro.br/…) que permite a emissão do boleto. (Fonte: Registro.BR –  https://registro.br/boleto-malicioso.html)

Conclusão

Não pague todo boleto que chegar à residência ou empresa. Procure sempre verificar a sua origem e quais serviços esta irá te oferecer.  Verifique se a empresa é verídica e realize o pagamento apenas quando tiver certeza que deseja fazer uso do serviço oferecido.

Se você conhece mais algum site ou “empresa” que oferece o serviço falso de contratação de domínio e hospedagem, envie em nossos comentários e ajude outras pessoas a não caírem nesse golpe.

Tags: , ,

Categorised in:

This post was written by Felipe Mesquita

Comércio eletrônico em 2014 – Tendências para 2015

dezembro 15, 2014 2:58 pm Published by 1 Comment

O que mais foi vendido no Comércio Eletrônico em 2014? Se você acha que os itens eletrônicos como televisão, tablets e smartphone foram os mais vendidos pela internet, parabéns você acertou! Mas se você está pensando em abrir um comércio eletrônico de produtos eletrônicos é bom você pensar bem, pois a concorrência é grande e o mercado já está saturado.

Quais são as tendências para o comércio eletrônico em 2015

O que mais foi vendidos no comércio eletrônico em 2014

Neste post vamos falar um pouco sobre como escolher o segmento certo de venda para o seu comércio eletrônico, vamos começar pelas cinco categorias de produtos mais vendidos pela internet.

TOP 5 do Comércio Eletrônico

Em 2014 tivemos a Copa do Mundo, que ajudou alguns setores e nem tanto outros. Durante o período de novembro de 2013 e abril de 2014 as compras em lojas físicas e pela internet foram muito semelhantes.

De acordo com pesquisa de compra realizada com e-bit com uma base de 1.487 consumidores, 40% dos consumidores compraram camisetas, 40% dos consumidores também compraram um smartphones. 35% dos pesquisados realizaram compras de um celular, 28% compraram uma TV e 26% compraram um tablet.

TOP 5 – Compras 6 meses antes da Copa do Mundo no Brasil de 2014

 40% Camiseta (595) 40% Smartphone (594) 35% Celular (527) 28% TV (420) 26% Tablet (387) Total de 1.487 consumidores pesquisados. Fonte: e-bit

Top 5 – Compras no comércio eletrônico no período pré Copa do mundo.

Comprar pela Internet ou em Loja Física

Os produtos pesquisados pelo e-bit que tiveram maior volume de vendas online no período que antecedeu a Copa do Mundo foram Smartphone, GPS com TV, câmera digital, celular, tablet e jogos de videogames de futebol.

Produtos como bola de futebol, camiseta e churrasqueira e cooler tiveram alta concentração de vendas tanto no canal online quanto na loja física.

O que surpreende nesta pesquisa foi que a motivação da compra para a maioria dos pesquisados não foi a Copa do Mundo. Apenas 11% dos consumidores responderam que foram motivados pela Copa do Mundo para realizar suas compras.

TOP 5 – Compras motivadas pela Copa do Mundo no Brasil de 2014 – 6 meses antes da Copa 2014

 3,6 TV 3,1% Camisetas 2,8% Camisetas de times de futebol 2,6% Bola de Futebol 1,5% Jogos/Games de Futebol Total de 1.487 consumidores pesquisados. Fonte: e-bit

Compras em Comércio eletrônico motivadas pelo período pré Copa do mundo no Brasil em 2014

O que esperar do Comércio Eletrônico em 2015

Em 2015 espera-se um crescimento na participação das vendas online por meio dos dispositivos móveis (mobile) como smartphones, tablets e celulares com acesso a internet, isso só acontece devido ao crescimento e popularização da banda larga móvel.

A tendência é que o comércio eletrônico em 2015 continue se adaptando para receber visitantes tanto em seus dispositivos tradicionais como computadores e notebooks, quanto nos dispositivos móveis como celular, smartphones e tablets.

As vendas em dispositivos é um crescente no Brasil, de acordo com os dados do e-bit, junho de 2010 não foram registradas vendas mobile, em junho de 2011 a vendas mobile representam apenas 0,3% das vendas online, em junho 2012 esse número quadruplicou saltando para 1,3% das venda online, em junho 2013 3,6% das vendas online foram realizadas via mobile, em 2014 o numero foi de 7,0%.

Um dado interessante é que as vendas realizadas em dispositivos móveis são diferentes das realizadas em computadores e notebooks, a principal categoria de produtos é Alimentos e Bebidas, que corresponde 8,9% das vendas em dispositivos móveis, em seguida estão Itens Colecionáveis e Pet Shop, ambas com 6,4% das vendas mobile, Sex Shop com 6,3% e Bebês e Cia com 6,2%.

TOP 5 – M-commerce – Compras em dispositivos móveis (Smatphones, Tablets e celulares)

 8,9% Alimentos e Bebidas 6,4% Itens Colecionáveis 6,4% Pet Shop 6,3% Sex Shop 6,2% Bebês e Cia Total de 1.487 consumidores pesquisados. Fonte: e-bit

M-commerce – Compras em dispositivos móveis (Smatphones, Tablets e celulares)

Mudança na cobrança da internet em dispositivos móveis

Em 2015 está prevista uma mudança na regulamentação da venda de dados móveis. Até dia 31 de dezembro 2014, o consumidor que compra um pacote de dados de qualquer operadora, ao ultrapassar o limite de seu pacote de dados tem ainda pode usar a sua internet com velocidade reduzida, a partir de 2015 isso não será mais possível, pois a ANATEL-Agência Nacional de Telecomunicações definiu que ao ultrapassar o limite de seu pacote de dados o cliente não terá mais acesso a internet, tendo que realizar a compra de um pacote adicional ou esperar a renovação do seus dados.

As operadoras de telefonia e internet justificam que essa mudança permitirá uma cobrança mais justa e uma estabilidade e qualidade melhor no sinal da internet. Ainda não é possível ter certeza de quais serão os impactos dessa mudança nas vendas por dispositivos móveis em 2015, mas é possível que tenhamos uma queda ou estabilização momentânea no crescimento, principalmente para os consumidores das classes C e D, até que estes se adaptem ao novo formato de serviço.

Impacto do Fim do IPI reduzido no Comércio Eletrônico

Com o fim do IPI reduzido da linha branca (geladeira, fogão, micro-ondas), essa categoria de produtos deve sofrer uma redução de vendas, também é possível que a linha de televisores tenha uma queda de vendas, pois muitos já realizaram a compra para assistir a Copa do Mundo. Talvez a chegada de uma nova tecnologia ou a redução de preços possa colaborar para a venda destes produtos.

Efeito showrooming

Algumas lojas já estão se adaptando ao fenômeno chamado showrooming, que retrata a ida do consumidor até uma loja física para visualizar o produto e comprar os preços com outros estabelecimentos por meio dos de pesquisas pela internet, o que faz a decisão de compra ficar dependendo da comodidade de levar o produto na hora, ou receber o produto em sua casa em alguns dias.

Algumas grandes lojas já estão fazendo de seu estabelecimento apenas um showroom, onde você vê o produto na loja, testa suas funcionalidades e ao realizar a compra é feito uma solicitação pela internet, alguns casos é até cobrado o frete, assim como a compra feita diretamente pela internet.

Principais tendências de vendas no Comércio Eletrônico em 2015

Em 2015 existe um grande potencial no crescimento das lojas de nicho, ou seja, lojas focadas para um determinado público consumidor, como: lojas especializadas em bebidas alcoólicas; consumo de comida em restaurantes locais; brinquedos e roupas infantis.

Repare que estas categorias são as mesmas que representam as vendas mobile, o que representa que as vendas por dispositivos móveis devem crescer, mesmo com o impacto da mudança do regulamento da aquisição do pacote de dados de internet.

Apesar do baixo crescimento da economia brasileira, as vendas online devem permanecer em alta, e novos consumidores devem aderir às lojas virtuais como opção de compras.

Mais informações sobre Comércio Eletrônico

Quer saber mais informações sobre comércio eletrônico, visite a nossa página sobre comércio eletrônico em Campo Grande.

Ficou com alguma dúvida, deseja criar seu comércio eletrônico, entre em contato com um de nossos consultores de marketing para analisarmos a viabilidade de seu negócio. Envie sua mensagem para o nosso Fale Conosco, ou ligue para (67) 3321-8174.

Tags: ,

Categorised in:

This post was written by Felipe Mesquita

O que é Black Friday?

novembro 28, 2014 10:19 am Published by 1 Comment

Black Friday, você já deve ter ouvido falar neste dia onde as lojas colocam seus produtos com  60%, 70%, 80% e até 90% de desconto, certo? Mas por que essas lojas oferecem tanto desconto? Qual é o objetivo de vender esses produtos tão barato? Será que esses descontos são reais mesmo ou é tudo a metade do dobro?  Você já deve ter feito essas perguntas também e aqui neste post vamos te explicar tudo isso!

Black Friday

Origem da Black Friday

A Black Friday é um dia de ação de vendas que é realizado anualmente na quarta sexta-feira do mês de novembro, logo após o feriado de Ação de Graças (Pouco conhecido e não comemorado no Brasil). O nome Black Friday teve origem Filadélfia, cidade do estado da Pensilvânia nos Estados Unidos, onde a polícia local denominava de Black Friday o dia seguinte do feriado de Ação de Graças, pois sempre havia congestionamentos e lojas lotadas em busca de preços mais baratos para o início das compras do Natal.

Quando a economia nos Estados Unidos está no negativo, eles costumam dizer que estão no vermelho, assim como nós brasileiros, no entanto, quando a economia esta positiva os norte-americanos costumam associar com a cor preta, diferente de nós brasileiros que associamos com a cor azul. Mas o que isso ter a ver com a Black Friday?

Durante a crise nos Estados Unidos, do final dos anos de 1960 até o início dos anos de 1980, a economia ficava negativa entre janeiro e novembro e ganhava folego apenas após o feriado de Ação de Graças, deixando a economia positiva no período de Natal, iniciando na sexta-feira após o dia de Ação de Graças a “sexta-feira negra“.

A Black Friday no Brasil

A Black Friday no Brasil é bem mais recente, a promoção teve início em 2010, com descontos mais modestos que os norte-americanos, a promoção ficou conhecida com “o descontos pela metade do dobro”, isso é por que muitas lojas sobem seus preços na semana anterior à Black Friday e reduzem no dia da oferta. Para os norte-americanos, o Black Friday é uma forma substituir os produtos antigos pelos lançamentos, além de ampliar as vendas no Natal, enquanto no Brasil é só um dia de liquidação, que nem sempre é verdadeira.

Mas no Brasil o consumidor não é bobo e já percebeu a malandragem de muitos lojistas. Os consumidores estão usando diversos sites de comparação de preço para ajudar a tomar a decisão de compra, tendo assim o melhor custo benefício. Alguns exemplos são o Buscapé, Zoom, Google Shopping,  Shopping UolTrivago (viagens),  Booking (viagens), Promobit (promoções). Sites como o Reclame Aqui, são ótimos parceiros dos consumidores para descobrir quem oferece serviços de qualidade, no Black Friday eles criaram um hotsite o Reclame Aqui Black Friday, uma página com Ranking atualizado com as reclamações nos principais lojas físicas e virtuais, vale a pena conferir antes de comprar.

A cada ano que passa as estratégias de marketing digital serão intensificadas para o Black Friday, provavelmente será uma das datas comerciais mais importantes para o comércio Brasileiro.

Black Friday e o crescimento da lucratividade do comércio eletrônico

Segundo o eBit, a Black Friday de 2013 proporcionou uma movimentação de R$770 milhões nas vendas em lojas virtuais do Brasil, um recorde de faturamento em um único dia.

O crescimento de vendas não segue o ritmo da satisfação do consumidor, de acordo com o pesquisa de indicação de satisfação do cliente NPS* (Net Promoter Score) feita para o WebShoppers do segundo semestre de 2014, exibe que no período da Black Friday e de compras para o Natal apenas 46,93% dos pesquisados indicariam um amigo para comprar na mesma loja virtual em que ele.  Essa queda na aprovação acontece porque com o crescimento do número de pedidos a chance de envios errados, ou recebimento de produtos danificados pelo cliente e principalmente a demora na entrega provocada pela alta demanda nos Correios.

No período de compras do Dia dos Namorados de 2014, a segundo melhor período para o comércio no ano, o índice de indicação chegou a 60,46%, a melhor aprovação entre junho de 2013 e junho de 2014. Isso mostra que o comércio eletrônico esta ganhando confiança do consumidor.

O que será mais vendido Black Friday

A categoria de Moda e Acessórios é a que mais deve vender neste período de promoção, as vendas devem permanecer boas até o fim do período de Natal. Cerca de 18% das vendas realizada na internet são destinadas a produtos da categoria de Moda e Acessórios.

Produtos da linha de cosméticos, perfumaria, cuidados pessoais e com a saúde são responsáveis por uma boa fatia das vendas online, 16% das vendas. Eletrodomésticos como geladeira, fogão, micro-ondas também possuem 11% do mercado varejista online. Alguns produtos e serviços não entraram em promoção, mas acabam tendo um crescimento nas vendas, que é o caso da telefonia, principalmente a venda de celulares e smarphones que possuem preços definidos por tabela, este representa 7% das venda pela internet.

A Black Friday vale a pena?

Antes de sair as compras no Black Friday, pesquise bastante, compare preços e tenha muita paciência na hora da entrega. Se você é lojista, não tente enganar seu consumidor vendendo tudo pela a metade do dobro, ele logo perceberá e não irá mais visitar sua loja, devido a má reputação.

O segredo para o lojista é deixar os produtos com menor saída com o preço mais baixo, para liquidar o estoque, e manter os produtos com boa saída com o preço normal ou oferecer um desconto menor, assim todo mundo sai ganhando.

Gostou da nossa explicação sobre o Black Friday? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário, teremos o maior prazer em trocar uma ideia com você.

Até a próxima!

* O Net Promoter Score (NPS) é método de pesquisa mundialmente reconhecido para medir a satisfação do consumidor, onde é medido o grau de intensão de indicar um amigo para a consumir um produto ou serviço de uma empresa.

Tags: , , ,

Categorised in:

This post was written by Felipe Mesquita

É possível vender tudo pela internet

É possível vender tudo pela internet

julho 23, 2014 5:15 pm Published by Leave your thoughts

Voltando 15 anos no tempo, quem imaginava que hoje poderíamos vender qualquer coisa pela internet? Em um rápido panorama em 1999 a internet estava praticamente começando, o atual principal site de busca, o Google, estava completando seu primeiro ano de idade. Nesta época não era nem cogitada a possibilidade da existência de Profissionais de Marketing Digital.

É possível vender tudo pela internet

Hoje é comum vendas de livros, ebooks, aplicativos, filmes, celular, tablets, smartphones e até produtos que não imaginávamos que seriam vendidos pela internet viraram febre nas lojas virtuais, com televisão, geladeira, forno, máquina de lavar, máquina fotográfica, tênis, materiais esportivos e moda feminina.

Existiam muitas dúvidas sobre se seria possível vender tudo em um comércio eletrônico, por exemplo, no segmento de moda feminina que citamos anteriormente, existiam muitas dúvidas se realmente seria possível vender para esse público, alguns exemplos são:

  • A numeração pode ficar larga ou apertada dependendo do modelo e marca da roupa ou tênis, como convencer que o que a cliente esta comprando é o ideal pra ela?
  • Como vender um produto as mulheres precisam experimentar antes de comprar?
  • E se a roupa não servir?
  • Será que a calça que ela deseja comprar vai combinar com os modelos de blusinha que ela tem em seu guarda-roupa?
  • Será que a cliente vai concordar em pagar para receber em casa?
  • O sistema de entrega no Brasil é muito lento, como entregar rapidamente quando a cliente tem pressa?
  • Mulheres gostam passear em shoppings para pesquisar modelos e comparar preços é possível fazer isso na internet?
  • Vitrines e dos cartazes promocionais são grandes chamarizes para iniciar uma venda em um ponto físico, como eu faço isso na internet?

Bom dá pra imaginar a dor de cabeça que estes empresários tiveram, né? Mas o que eles poderiam fazer? Desistir? Não, o que eles precisam era encontrar as respostas para as dúvidas.

– A numeração pode ficar larga ou apertada dependendo do modelo e marca da roupa, como convencer que o que a cliente esta comprando é o ideal pra ela?

As empresas instalaram Chat online e disponibilizaram consultores de venda para auxiliar os seus clientes na escolha, uma forma da cliente entrar em contato rápido com a cliente para solucionar as dívidas.

Por exemplo, se a cliente queria comprar um tênis de uma marca X, mas o tênis que ela tem hoje é de uma marca Y, o representante de vendas indicaria qual seria o número ideal da marca X que é correspondente ao número do tênis de marca Y, assim a chance de ficar largo e apertado ficaria minimizada.

No caso das roupas femininas as empresas começaram a informar de forma ilustrada as principais medidas como: costas (de ombro a ombro), busto, cintura, comprimento do corpo (de ombro a umbigo) e comprimento da saia/calça (do umbigo até em cima do tornozelo ou da cintura até a barra). Com essas informações a cliente poderia tirar suas medidas e verificar qual seria a melhor opção, no caso das dúvidas persistirem ainda há o chat online e um consultor de venda ira ajudar na escolha.

Para o comércio eletrônico funcionar, todas as dúvidas das clientes precisam ser sanadas, por isso hoje é muito mais fácil de encontrar uma loja virtual que venda roupas, tênis e acessórios pela internet. O que achavam impossível para qualquer um, Hoje, até mesmos as grandes lojas de departamento já estão vendendo pela internet.

Você tem dúvidas de que seu negócio possa vender pela internet? Entre em contato conosco, por meio de nosso Fale Conosco, deixe um comentário ou telefone para o (67) 3321-8174 e fale um de nossos consultores.

Tags:

Categorised in:

This post was written by Felipe Mesquita

O que é Google Drive

outubro 3, 2012 3:17 pm Published by 3 Comments

O Google Drive ou Google Disco (nome dado para o serviço no Brasil) veio para substituir o Google Docs e integrar o serviço de armazenamento de arquivos para a nuvem, em outras palavras o Google disponibiliza um espaço virtual para você guardar, divulgar e usar os seus arquivos de qualquer lugar com acesso a internet.

Google Drive logo (mais…)

Tags: ,

Categorised in:

This post was written by Felipe Mesquita

the-flash

Dicas para melhorar a velocidade de carregamento do seu Site

setembro 19, 2012 3:10 pm Published by 1 Comment

Um dos fatores mais importantes para manter o usuário no seu site é a velocidade do carregamento das suas páginas. O site pode ser lindo, maravilhoso, ter conteúdo de qualidade, mas se demorar demais para mostrar o conteúdo, muita gente abandona o site, principalmente os novos visitantes.

Um exemplo clássico dessa situação são os sites feitos em Flash, a maioria das pessoas não tem paciência de esperar o famoso “Loading/Carregando/Aguarde” com a porcentagem, não é verdade?

Além disso a velocidade de carregamento é um dos fatores de ranqueamento no Google, inclusive no Webmaster Tools tem um link exclusivo que diz a velocidade do seu site comparado com outros sites e no Google Analytics tem uma área para mostrar a velocidade das suas páginas com outros dados interessantes, como taxa de rejeição, taxa de saída e outros dados interessantes.

Dicas para otimizar o carregamento do seu site

  • Evite INCLUDES desnecessários, seja ele em php, Javascripts, jQuery, CSS . Esse é um erro que a maioria dos desenvolvedores cometem, normalmente na página “index” tem todos os includes dos arquivos que é usado no site. Mas não é em todas que você irá usar;
  • Siga o máximo, que conseguir, os padrões da W3C;
  • Seja gente boa com seu navegador. Coloque a largura e altura das imagens e não se esqueça de fechar a tag ( <img /> );
  • Use o cache do navegador. Têm imagens, scripts que não precisam ser carregados novamente toda vez que o usuário acessar o site, usando o cache você deixa uma cópia desses arquivos no navegador do usuário.
  • Evite o uso de SCRIPTS .PHP para redimensionar fotos. Prefira sempre gerar thumbnail. Nada de forçar o redimensionamento da foto, além de ficar muito feio, demora demais para carregar;
  • Use a tag <table> apenas para tabelas e não para estruturar seu site;
  • Cuidado com o exagero. Muita imagem, muito vídeo, muito swf, atrapalham e muito;
  • Não seja preguiçoso, tem muita coisa simples que dá pra fazer com CSS e jQuery em vez de fazer com imagem ou flash. Basta você querer e deixar de lado a preguiça;
  • Estilo diretamente na tag deixa seu código lento;
  • Evite separar em vários arquivos o que pode ter em um só. Compacte o seu CSS em um arquivo, o mesmo para Javascripts e outros;
  • Não abuse de redirecionamentos;
  • Seu público está em todas as redes sociais? Muito provável que não. Então não coloque aquele exagero de ícones como opção de compartilhamento, use apenas o necessário.
  • É desenvolvedor e usa PHP? Clique neste link e veja as melhores práticas para agilizar seu código.

E como dica final é usar o Plugin para Firefox, o Firebug , ele tem uma aba dedicada para testar a velocidade do seu site e mostrar os erros. Caso não queira instalar nenhum plugin, existe uma ótima ferramenta do Google, o PageSpeed Insights, é só colocar o endereço do seu site que ele te mostra a nota do seu site de 0 a 100, além disto te dá dicas para solucionar os seus problemas e deixar a sua página muito mais rápida. Lembre-se nem sempre o mais bonito é o melhor e mais funcional, não deixe de pensar na velocidade de carregamento, pois ela influenciará muito na conversão($$) do site.

Por: Alexandre Montello

Categorised in:

This post was written by Equipe Shape Web

Mestre tipográfico

setembro 5, 2012 3:40 pm Published by 1 Comment

Essa semana aqui no blog, resolvemos abordar um tema que influencia em boa parte do visual de um site: a tipografia.

Apesar da sua importância, poucos profissionais tem o cuidado de planejar a fonte adequada na criação de projetos web. Levar em consideração legibilidade, combinação de fontes e adaptação em diversos dispositivos são questões importantes na hora de publicar um novo projeto.

Escolher a família tipográfica adequada para cada projeto vai muito além de questões estéticas, cada fonte tem seu uso adequado e deve estar alinhada com o que um site precisa demonstrar para seus usuários.

Serifada vs Não serifada

Nesse primeiro post vamos falar da função de fontes serifadas e não serifadas. Fonte serifadas são indicadas para longos textos. Na imagem acima, uma básica diferença entre fontes serifadas e não serifadas
As terminações marcadas pelos pontos amarelos nas fontes as definem como uma fonte serifada, herança da época em que escrevíamos com pena. Já nas fontes não serifadas, as terminações são retas.
Algumas dicas importantes:

1) Escolha fontes com boa leitura inclusive em tamanhos reduzidos. Boas fontes são a Georgia, Skolar, Vani;

2) Procure por tipografias que tenham sido projetadas para web, elas são melhores reinderizadas pelos browsers ;

 

3) Escolha fontes que estejam disponíveis na maioria dos sistemas operacionais, ou utilize algum serviço online de destruição de fontes. http://www.google.com/webfonts

 

4) Leve em consideração o tempo de carregamento de uma fonte;

 

5) Ao combinar fontes, prefira uma combinação bastante contrastada para que não haja erros nas informações que você deseja destacar.

 

Uma boa tipografia irá enaltecer o conteúdo do seu site, a escolha adequada fará com que as pessoas se sintam confortáveis ao ler suas informações.

Categorised in:

This post was written by Edgar da Silva

Dicas para o seu Carrinho de Compras

agosto 29, 2012 4:11 pm Published by Leave your thoughts

Pra quem não sabe o carrinho de compras é onde você reúne todos os produtos que mais
gostou em um comércio eletrônico, muda quantidade, adiciona outros, enfim, é literalmente
uma cesta de compras. É uma das partes mais importantes da sua loja, provavelmente só
perde para a parte do pagamento, claro, que é onde mais gostamos $$.

Apesar de ser muito importante, o carrinho de compras é a parte que menos recebe atenção.
Se você quiser otimizar suas vendas e aumentar o seu lucro no final do mês, se atente a
algumas dicas ULTRA MEGA POWER IMPORTANTES , pois estima-se que o abandono de
carrinho ocorra em 65% nos processos de pagamento.

Vamos as Dicas para seu Carrinho de Compra

1 – Retire o menu lateral do carrinho, deixe apenas o topo do seu site. Não é legal o cara sair
do carrinho para navegar em categorias. O foco é fazer o cara comprar, calcular o frete e
avançar para o pagamento.

2 – Nada de carrinho muito cheio de cores, ele deve ser limpo e as informações muito bem
distribuídas de maneira que a pessoa se encontre. Usabilidade é a palavra da vez =)

3 – Calcular frete via API externa? Cuidado elas podem oscilar e dar erro no seu carrinho,
impedindo que a pessoa proceda na compra. Faça testes em massa e nada de carrinho muito
pesado, que demora a carregar.

4 – O Cliente não tem cadastro ainda ou ainda não logou? Não leve ele para outra página, faça
ele fazer o cadastro ou login dentro do carrinho. Lembrando, o layout do carrinho deve ser
muito bem pensando para conseguir dispor as informações sem sobrecarregar.

5 – Tem algum selo de segurança? Coloque no carrinho, isso pode influenciar na hora da
compra.

6 – Se possível grave no banco de dados todas as pessoas que entraram no carrinho. Isso pode
ajudar a fazer alguma estratégia de marketing.

7 – Outra ideia interessante é  no final do carrinho você indicar outros produtos, mas que para adicioná-los não precise sair dele.

8 – Tenha sempre o passo a passo para o usuário ver onde está e se encontrar.

9 – Lembre-se para acessar o carrinho de compras não precisa ser cadastrado no site. É muito
chato ter que se registrar em um site para ver o custo do frete ou o total da compra.

10 – Reduza ao máximo os passos, quanto mais processo, mais chance de perder a venda.

Essas são algumas dicas que com certeza irá ajudar na conversão da sua loja virtual. Boa sorte =)

Um exemplo de carrinho de compras seguindo essas dicas é a Uzinga.com.br

Por: Alexandre Montello

Categorised in: ,

This post was written by Alexandre Montello